News - Briefing de Mercado

Balanços corporativos e espera de Livro Bege puxam altas
18/07/2012

18 de Julho de 2012 13h22
Paula Pereira

A divulgação dos balanços corporativos nos Estados Unidos, com resultados
melhores que o esperado, e a expectativa do mercado em relação ao Livro Bege,
documento que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) divulga
hoje à tarde, influenciavam as altas das bolsas internacionais e do Ibovespa, principal
índice da BM&FBovespa, na primeira etapa do pregão desta quarta-feira.
 
Há pouco o índice subia 0,98% a 54.438 pontos. O giro financeiro era de R$
2,144 bilhões. O índice futuro, com vencimento em agosto de 2012, também
subia 0,97% a 54.710 pontos.
 
"O mercado está refletindo alguns balanços corporativos com resultados um
pouco acima do esperado. Após um discurso morno de [Ben] Bernanke, o mercado
fica em compasso de espera do Livro Bege mais tarde, na expectativa de que ainda
reafirme a recuperação lenta da economia, mas possa apresentar melhora de
alguns indicadores", explica Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos.
O Federal Reserve divulga, às 15h, o Livro Bege, relatório sobre as
condições econômicas dos Estados Unidos.
 
Entre os balanços divulgados hoje, se destacam o do banco Bank of America,
que obteve no segundo trimestre deste ano um lucro líquido atribuível aos
seus acionistas de US$ 2,098 bilhões, revertendo um prejuízo de US$ 9,127
bilhões registrado no mesmo período do ano passado; do Credit Suisse com alta
de 2,6% no lucro do segundo trimestre, que somou 788 milhões de francos
suíços (US$ 802,77 milhões), e do gestor de ativos norte-americano Blackrock,
que registrou  lucro de US$ 554 milhões, queda de 10,5% em relação a igual
período do ano passado.
 
Também nos Estados Unidos foi divulgado hoje os dados de construções de
imóveis, que aumentaram 6,9% em junho na comparação mensal, para 760 mil
residências, de 711 mil unidades em maio, de acordo com dados anualizados e
revisados divulgados hoje pelo Departamento de Comércio do país. Na
comparação com junho de 2011, quando as construções somaram 615 mil unidades
 pela taxa anualizada, houve alta de 23,6%.
                
"Os dados positivos dessa manhã trouxeram um viés mais otimista para o
dia, mas o palco está virado para o Livro Bege. Qualquer frase positiva no
documento pode levar o mercado a reagir", diz Marcelo Cincão, sócio-diretor
da TBCS Investimentos.
 
Mercado internacional
    
Nos Estados Unidos, os índices operam em alta. Há pouco, o Dow Jones subia
0,59%, aos 12.881,26 pontos; o S&P 500 avançava 0,57%, aos 1.371,46 pontos; e
o Nasdaq Composto tinha alta de 1,14%, aos 2.943,24 pontos.
 
As bolsas europeias encerraram o dia também em alta. O índice
FTSE-100,principal da bolsa de Londres, fechou com alta de 1,01%, a 5.685,77
pontos; o CAC-40, de Paris, registrou alta de 1,84%, a 3.235,40 pontos, o
DAX-30, de Frankfurt, encerrou com alta de 1,62%, a 6.684,42 pontos; o Ibex-35,
de Madri, subiu 0,50%, a 6.591,20 pontos e o SMI-20, de Zurique, apresentou
avanço de 0,91%, a 6.259,00 pontos.
    
Petróleo
    
Os contratos futuros do petróleo operam em alta. Em Nova York, o WTI para
agosto tinha alta de 0,40%, a US$ 89,58 o barril. Em Londres, o Brent para
setembro subia 0,94%, a US$ 104,98 o barril.
 
Câmbio
    
O dólar comercial operava com queda de 0,09%, cotado a R$ 2,0200 para
venda. No mercado futuro, há pouco, o contrato da moeda norte-americana com
vencimento para agosto caía 0,07%, a R$ 2.024,000.
    
Juros
            
Os contratos futuros de Depósito Interfinanceiro (DI) operam sem tendência
definida. Com maior liquidez, o contrato para janeiro de 2013 registrava queda,
passando de 7,47% para 7,46%, com giro de R$ 20,465 bilhões, seguido pelo
contrato para janeiro de 2014, que subia de 7,77% para 7,82%, com giro de R$
19,142 bilhões.

Fonte: Agência Leia

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By