News - Briefing de Mercado

Começando agora? Saiba o que analisar antes de escolher as ações
13/11/2012

12 de Novembro de 2012 10h15

 

Começando agora? Saiba o que analisar antes de escolher as ações
    SÃO PAULO – O mercado acionário está repleto de opções de investimento. Com tantas alternativas, em alguns momentos fica difícil optar por alguma ação, ainda mais com as constantes oscilações que permeiam esse meio. Portanto, é importante que o investidor conheça bem a empresa antes de se tornar acionista. Afinal, ninguém quer fazer parte de um negócio ruim. Para simplificar na hora da escolha, especialistas apontam quais são os principais aspectos para os quais os investidores devem se atentar.
“Em primeiro lugar, é preciso verificar em qual setor a empresa atua e se ele está bem perante a economia regional e mundial. Por exemplo, nos últimos anos os melhores desempenhos foram de empresas voltadas para o mercado interno. Nenhuma exportadora ficou tão bem colocada quanto essas organizações”, aponta o economista-chefe da corretora Souza Barros, Clodoir Vieira.
Segundo ele, também é importante comparar o desempenho dessa empresa dentro do setor e ver se seu crescimento está compatível com as concorrentes. Mas Vieira destaca que cada segmento possui características próprias. “O setor de aviação é mais endividado, já o de varejo não costuma se tanto assim”, aponta, destacando que é importante analisar esses aspectos antes de decidir pela compra de uma ação.
Outro ponto muito destacado é a governança da empresa. “Se atentar a quem está fazendo a gestão, se são pessoas competentes e se o conselho de administração é composto por pessoas que podem agregar, também são detalhes essenciais”, afirma o gestor de renda variável do Paraná Banco, Marc Sauerman.
Saúde financeira
Verificar as condições financeiras de uma empresa é premissa básica na hora da escolha. Checar se ela possui solvência financeira, dívidas e inconstâncias devem fazer parte do processo de análise. “Uma empresa com muitas dívidas pode estar muito restrita. E em tempos de turbulência, a organização que tem dívidas pode não sobreviver”, complementa Sauerman.
Como analisar o balanço de uma empresa não é tarefa das mais simples e exige algum conhecimento do assunto, a sugestão do Diretor da AZ Investimentos, Ricardo Zeno, que o investudor fique atento aos relatórios dos analistas elaborado pelas corretoras. “Para ele ter acesso a esses documentos basta ter cadastro em alguma corretora”, comenta. “Também é importante analisar a liquidez das ações transacionadas na Bolsa”, aponta o executivo. Quanto mais líquido o papel, mais fácil você se desfazer das ações quando precisar do dinheiro.
A partir da análise do lucro da empresa, Vieira, da Souza Barros, sugere que o investidor calcule o PL (preço dividido pelo lucro) para saber quantos anos demoraria para ele ter o dinheiro aplicado de volta. “Por último, eu recomendo checar se a empresa sofre influência do governo, ou não. Hoje em dia, por exemplo, em função das medidas adotadas nos setores elétrico e bancário, muitas não têm sido recomendadas”, finaliza.
O mercado acionário está repleto de opções de investimento. Com tantas alternativas, em alguns momentos fica difícil optar por alguma ação, ainda mais com as constantes oscilações que permeiam esse meio. Portanto, é importante que o investidor conheça bem a empresa antes de se tornar acionista. Afinal, ninguém quer fazer parte de um negócio ruim. Para simplificar na hora da escolha, especialistas apontam quais são os principais aspectos para os quais os investidores devem se atentar.
“Em primeiro lugar, é preciso verificar em qual setor a empresa atua e se ele está bem perante a economia regional e mundial. Por exemplo, nos últimos anos os melhores desempenhos foram de empresas voltadas para o mercado interno. Nenhuma exportadora ficou tão bem colocada quanto essas organizações”, aponta o economista-chefe da corretora Souza Barros, Clodoir Vieira.
Segundo ele, também é importante comparar o desempenho dessa empresa dentro do setor e ver se seu crescimento está compatível com as concorrentes. Mas Vieira destaca que cada segmento possui características próprias. “O setor de aviação é mais endividado, já o de varejo não costuma se tanto assim”, aponta, destacando que é importante analisar esses aspectos antes de decidir pela compra de uma ação.
Outro ponto muito destacado é a governança da empresa. “Se atentar a quem está fazendo a gestão, se são pessoas competentes e se o conselho de administração é composto por pessoas que podem agregar, também são detalhes essenciais”, afirma o gestor de renda variável do Paraná Banco, Marc Sauerman.
Saúde financeira
Verificar as condições financeiras de uma empresa é premissa básica na hora da escolha. Checar se ela possui solvência financeira, dívidas e inconstâncias devem fazer parte do processo de análise. “Uma empresa com muitas dívidas pode estar muito restrita. E em tempos de turbulência, a organização que tem dívidas pode não sobreviver”, complementa Sauerman.
Como analisar o balanço de uma empresa não é tarefa das mais simples e exige algum conhecimento do assunto, a sugestão do Diretor da AZ Investimentos, Ricardo Zeno, que o investudor fique atento aos relatórios dos analistas elaborado pelas corretoras. “Para ele ter acesso a esses documentos basta ter cadastro em alguma corretora”, comenta. “Também é importante analisar a liquidez das ações transacionadas na Bolsa”, aponta o executivo. Quanto mais líquido o papel, mais fácil você se desfazer das ações quando precisar do dinheiro.
A partir da análise do lucro da empresa, Vieira, da Souza Barros, sugere que o investidor calcule o PL (preço dividido pelo lucro) para saber quantos anos demoraria para ele ter o dinheiro aplicado de volta. “Por último, eu recomendo checar se a empresa sofre influência do governo, ou não. Hoje em dia, por exemplo, em função das medidas adotadas nos setores elétrico e bancário, muitas não têm sido recomendadas”, finaliza.

 

Fonte: INFOMONEY

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By