News - Briefing de Mercado

5 ações que subiram mais de 70% em 2012 e suas perspectivas para este ano
20/03/2013

18 de Março de 2013 14h50

O ano passado foi mais um ano complicado para o mercado acionário e muitos investidores amargaram prejuízos com o investimento em ações. No entando, nem todos os papéis foram penalizados e algumas ações trouxeram ganhos robustos para os investidores. 

Entre as ações mais que mais valorizaram no ano passado estão, em primeiro lugar, a Hypermarcas (HYPE3), que teve alta de 95,53%, seguida da B2W (BTOW3), que valorizou-se 88,89%. Em terceiro lugar, ficou a Sabesp (SBSP3), que ganhou 73,79%, seguida da Duratex (DTEX3), que subiu 71,76% no ano. Por fim, outra empresa do setor de consumo: a Lojas Renner (LREN3) terminou 2012 com alta de 70,38%.

Mas como estão e quais as perspectivas dessas ações em 2013?  Especialistas respondem ao InfoMoney.  Em 2013, até o dia 15 de março, três das cinco ações campeãs do ano passado estão com valorização. A Hypermarcas subiu 2,47% em 2013, a Sabesp 5,16% e a Duratex 6,49%. Já a Lojas Renner está com uma queda de 9,72% no ano até o momento e a B2W com queda de 5,94% no mesmo período.

Setor de consumo
De acordo com especialista do MoneyFit, Antonio de Julio, o setor de consumo não deve repetir o boom do ano passado em 2013. "Aquele resultado excepcional de 2012 não deve se repetir nesse ano, pois as ações que têm altas muito expressivas em um ano tendem a dar uma segurada no ano seguinte. Mas o setor está forte ainda e, se a economia ficar estável, acho que ele pode ir bem novamente", afirmou.

Já para Ricardo Zeno, Diretor da AZ Investimentos, tanto a Hypermarcas, como a B2W e a Lojas Renner podem sim repetir o resultado de 2012, mas dependendo da política monetária e das ações do Banco Central.

"As três empresas de consumo, que ficaram entre as cinco melhores de 2012, têm tudo para repetir a boa performance do ano passado. A B2W deve fechar capital, então a alta será em torno disso, sem falar que a queda de 2011 ajudou muito na alta do ano passado e isso pode continuar mais um pouco. Já a Hypermarcas se reestruturou via vendas de outros ativos e agora assumiu um compromisso de resultados significativos, então também será uma boa aposta ainda. A lojas Renner é uma grande empresa, sólida e com ótimos resultados, ou seja, tende a repetir o desempenho e pode ter outra alta expressiva", analisou o diretor.

As especulações em torno do fechamento de capital da B2W começaram em maio do ano passado. De acordo com rumores da época, a OPA seria uma maneira de reduzir riscos da B2W, após a companhia registrar um prejuizo de R$ 42,8 milhões.

Já a equipe da gestora de recursos G5 Evercore lembra que a B2W tem sofrido para expandir vendas com rentabilidade nos últimos 3 anos e ressalta que a empresa perdeu participação nos últimos 3 anos, a partir do surgimento da Nova Ponto Com. O Ebitda (que mede a geração de caixa) e o lucro também recuaram.   "Para voltar a ser lucrativa, a empresa implantou um agressivo plano de investimentos, que consumirá R$1Bilhão de 2013 a 2015. A empresa tem muitos desafios pela frente e pode demandar um novo aumento de capital no próximo triênio, caso não gere caixa suficiente para se financiar", aponta a G5, em carta aos cotistas.

Segundo Clodoir Vieira, economista-chefe da corretora Souza Barros, a Lojas Renner, por atender um nível de renda de classe média baixa, apresenta uma grande facilidade com o cartão de crédito, parcelando as compras em um número elevado de vezes. "O papel pode continuar subindo em 2013, pois a empresa apresenta bons resultados e a resposta dos consumidores é sempre imediata pela facilidade de crédito. Eu não acredito que vá subir 70% novamente, mas deve subir mais. Quem está posicionado no papel, fica, mas, quem não está, melhor colocar o pé no freio", aconselha.

Já em relação à Hypermarcas, o economista-chefe também acredita que o papel tem espaço para subir mais, afinal, ficou entre as 10 maiores quedas de 2011. "Ainda dá para fazer posição no papel. Ele tem bastante espaço ainda", concluiu.

Sabesp
A Sabesp atua no segmento de saneamento básico, abrangendo serviços como o fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos. Sua base de atuação é extensa, contando com mais de 360 municípios no estado de São Paulo e 28 milhões de pessoas atendidas, colocando-a como uma das maiores empresas do mundo neste segmento em termos de população atendida.

A equipe da XP Investimentos aponta, em relatório, que o investimento na Sabesp reflete uma posição conservadora, voltada para infraestrutura nacional. O investimento é sustentado por perspectivas de reajustes tarifários maiores, assim como fluxos de caixa estáveis e previsíveis.

"Acreditamos que o segmento vivencia um bom momento, seja pela qualidade de expansão ou pelo fluxo positivo de investidores, migrando de setores que sofreram forte intervenção, como o setor elétrico".

A companhia de saneamento deve continuar com movimento de alta neste ano, mas, assim como as outras companhias, não tão expressiva. Isso se deve também ao reajuste tarifário de 1,94% sobre a atual tarifa de 2,87 R$/m³. Segundo a corretora, o ajuste foi abaixo do esperado pelo mercado, mas, no dia 22 de março uma nova publicação deve reajustar novamente a tarifa, que pode atingir até 3,38 R$/m³.

"Diante deste novo reajuste tarifário, esperamos que a companhia não tenha problemas em cumprir seus planos de investimentos, assim como incremento em suas linhas de faturamento", concluiu a corretora que adicionou a empresa em sua carteira recomendada de março.

Duratex
A Duratex, maior empresa produtora de painéis de madeira industrializada do Hemisfério Sul e líder no mercado brasileiro, também continua com viés de alta até o fim deste ano, apesar de ter sido retirada da carteira recomendada de março da Planner Corretora.

"Considerando os fortes resultados da semana passada, qua valorizou a ação rapidamente e deve chamar uma realização de lucros no curto prazo, deicidimos retirar as ações da Duratex da carteira de março. No entanto,  a consistência de seus resultados, sua liderança de mercado, sua qualidade de administração e boa rentabilidade nos fazem continuar apostando na empresa mais a longo prazo, para 2013", afirmou a corretora em relatório.

Recomendações em março
As ações da Lojas Renner receberam cinco recomendações e ficaram em quinto lugar (junto a outras nove empresas) no compilado do InfoMoney que classifica as top picks de acordo com 25 relatórios de corretoras.  A empresa recebeu indicações da BB Investimentos, Geral, Planner, Walpires e Ativa.

A Hypermarcas recebeu três indicações (BI&P, TOV e Ágora), enquanto a Sabesp e a Duratex foram citadas apenas em duas carteiras cada (Ágora e XP / Concórdia e Um, respectivamente). Por último, as ações da B2W, que não receberam nenhuma indicação nos 25 relatórios analisados pelo InfoMoney.

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By