News - Briefing de Mercado

Ata do Copom e Petrobras fazem Bolsa brasileira operar em queda de 1,73%
07/11/2014

06 de Novembro de 2014 10h29
Ana Paula Ribeiro

Já no mercado de câmbio, dólar comercial tem alta de 1,03%

Em mais um dia de mau humor nos mercados financeiros locais, a Bolsa brasileira opera em queda nessa quinta-feira influenciada por Petrobras e pelas preocupações dos investidores com juros e inflação. Às 11h53, o Ibovespa, principal índice brasileiro de ações, operava em queda de 1,73%, aos 52.770 pontos. Já o dólar comercial registrava avanço de 1,03%, a R$ 2,5390 na compra e a R$ 2,5410 na venda.

Na avaliação de Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos, a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), divulgada nessa quinta-feira, deixa claro que a taxa básica de juros continuar a subir. No documento, são citados o aumento da cotação do dólar e os gastos públicos como fatores que estão pressionando a inflação.

— Há um cenário de preocupação com os juros e os índices de preços. A economia continua crescendo pouco e a inflação incomoda. O governo está penando muito querendo combater a inflação só com aumento de juros — afirmou Zeno, ao justificar o principal fator do mau humor dos investidores.

INCERTEZA SOBRE REAJUSTE DA GASOLINA

No caso da Petrobras, o fator predominante é o comunicado divulgado quarta-feira à noite pela estatal, em que afirma não haver data ou percentual definido para o reajuste da gasolina. Segundo a CM Capital Markets, o entendimento do mercado é que "não ocorrerá o esperado reajuste dos preços dos combustíveis", frustrando as expectativas de que o aumento pudesse ser feito até o dia 14 de novembro. "Esse evento reacende os temores do mercado de que o segundo mandato da presidente Dilma seja mais do mesmo no campo econômico", avaliou o estrategista da CM Capital Markets, Marco Aurélio Barbosa, em nota destinada a clientes.

As ações preferenciais (sem direito a voto) da estatal operam em queda de 3,19%. Já as ordinárias (com direito a voto) recuam 2,74%. Recuo significativo nos papéis da Vale. Os preferenciais da mineradora caem 2,31% e os ordinários têm recuo de 1,70%.

No exterior, a atenção é com o pronunciamento do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, que fala sobre os cenários de risco para a região. O DAX, de Frakfurt, opera em alta de 0,73%. Já o CAC 40, da Bolsa de Paris, tem variação positiva de 0,36% e o FTSE 100, de Londres, tem alta de 0,23%.

 

Fonte: O Globo

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By