News - Briefing de Mercado

Dólar opera volátil e agora cai a R$ 3,03; Bovespa volta a cair com Vale e Petrobras
07/05/2015

07 de Maio de 2015 09h24
Rennan Setti

Ibovespa segue Bolsas globais, que caem.

A moeda americana opera instável nesta quinta-feira. No momento, o dólar comercial contraria a tendência internacional e cai 0,22%, cotado a R$ 3,037 para compra e a R$ 3,039 para venda. O mercado repercute a aprovação, na Câmara, de texto-base da medida que dificulta acesso a seguro-desemprego e abono salarial — um dos projetos que integram o chamado ajuste fiscal, bem vindo pelo mercado financeiro. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) chegou a abrir em leve alta mas agora cai 0,59%, aos 56.765 pontos, com maior pessimismo com relação à inflação e quedas nas Bolsas globais.

O câmbio também deve reagir à ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na qual o Banco Central traça um cenário mais difícil para o combate à inflação e admite que ela só deve cair à meta de 4,5% no fim do ano que vem. Antes, a expectativa era de que isso ocorresse “ao longo de 2016”. Desse forma, a autoridade monetária deixou o caminho aberto para continuar a subir os juros, que já estão no maior patamar desde 2009 e contribuem para valorizar o real.

Em escala global, o dólar sobe hoje frente a dez das 16 principais moedas do mundo. O índice “Dollar Spot”, da Bloomberg —que mede a força da divisa americana contra uma cesta de dez moedas — avança 0,19%.

Também segue repercutindo no mercado de câmbio a notícia de que o Brasil recebeu US$ 13,1 bilhões em abril, já descontado tudo o que saiu do país. Foi o maior fluxo cambial registrado nos últimos quatro anos, segundo os dados divulgados pelo Banco Central a quarta-feira. Desde quando o BC passou a registrar os dados há 33 anos, é o sexto melhor mês para a entrada de recursos.

Mas Sidnei Nehme, da corretora NGO, alerta que essa boa notícia não é uma tendência.

“Não é coerente que se construa um exacerbado otimismo baseado em fluxos de capitais puramente especulativos, pois o quadro macroeconômico brasileiro requer atenção e precaução e o país ainda não recuperou sua atratividade perante os efetivos investidores estrangeiros”, escreveu hoje.

ANALISTA VÊ PROCESSO DE REALIZAÇÃO DE LUCROS

As ações ON (com direito a voto) da Petrobras caem 1,21%, mas a PN (sem voto) opera estável. Já a Vale repete o pessimismo de ontem e recua 2,88% (ON) e 0,67% (PN). Entre os bancos, só o Banco do Brasil avança (1,77%). O Bradesco recua 0,19% e o Itaú Unibanco, 0,23%.

Para Adriano Moreno, estrategista da Futura Invest, a queda de hoje é mais uma vez explicada por realização de lucros pelos investidores.

— Petrobras e Vale subiram muito nas últimas semanas. A Vale, a propósito, sofreu forte processo de “short squeeze”, que é quando os investidores estão apostando contra um papel e um evento repentino muda esse cenário. Aí, todos correram para o papel e ele disparou — disse o especialista. — Mas não há uma mudança significativa de tendência, então trata-se mais de um ajuste. Será importante ficar de olho no fluxo de investimento, mas o cenário segue positivo com o provável adiamento da alta de juros nos EUA e o começo da aprovação de medidas do ajuste fiscal.

Para Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos, a aprovação do ajuste fiscal não foi capaz de animar os investidores porque já era esperada:

— A aprovação das medidas do ajuste fiscal foi uma sinalização importante, mas o mercado sempre antecipa eventos como esse. Anteontem, o mercado bateu em um patamar técnico muito alto mas sem força para se sustentar. Então os investidores aproveitaram para botar dinheiro no Bolso. Aparentemente, o mercado deve seguir "patinando" no curto prazo, com o quadro econômico ainda ruim e sem qualquer evento no horizonte para mudar o cenário.

A operadora Oi registra queda de 4,59%, depois de ter divulgado hoje prejuízo líquido consolidado de R$ 447 milhões no primeiro trimestre, desempenho pior que o esperado e que o lucro de R$ 228 milhões obtido um ano antes.

Fonte: O Globo

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By