News - Briefing de Mercado

Bolsa cai 2,7% e dólar sobe em novo pregão de tensão com China e petróleo
15/01/2016

15 de Janeiro de 2016 10h34

Barril do tipo Brent chegou a tocar US$ 29,43, menor nível desde fevereiro de 2004.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) cai 2,74% nesta sexta-feira, aos 38.416 pontos, e o dólar comercial avança 1,37%, cotado a R$ 4,054, em mais um dia marcado pela preocupação com a China e pela desvalorização do petróleo.

As ações chinesas caíram novamente nesta sexta, com o índice de Xangai fechando em queda de 3,5%, no seu menor nível desde dezembro de 2014. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 3,2%. A confiança foi atingida por dados do crédito piores do que o esperado, e os investidores aproveitaram a recuperação de 2% da quinta-feira para reduzir a exposição a ações ainda mais.

Os contratos futuros do barril de petróleo do tipo Brent caem 3,79%, a US$ 29,74, perto da mínimas em 12 anos, com o mercado se preparando para mais exportações do Irã, que deverá ter retiradas sanções internacionais possivelmente dentro de dias. Mais cedo, o Brent chegou a tocar US$ 29,43, menor nível desde fevereiro de 2004.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) pode divulgar relatório sobre o cumprimento pelo Irã do acordo para conter seu programa nuclear em encontro nesta sexta-feira em Viena, o que potencialmente possibilitará a retirada das sanções do Ocidente contra o país.

PETROBRAS DESPENCA; USIMINAS ABAIXO DE R$ 1

No índice de referência Ibovespa, 53 das 61 ações operam em baixa. As principais pressões de queda vêm da Petrobras, que despenca afetada pela desvalorização do petróleo. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) recuam 76,46% (R$ 6,68), enquanto as preferenciais (PN, sem voto) caem 8,43% (R$ 5,21). Também afetada pela derrocada das commodities, a mineradora Vale cai 4,24% (ON, a R$ 9,24) e 4,52% (PN, a R$ 7,18)

Assim como a Vale, o setor de siderurgia também é prejudicado por problemas na economia chinesa. A CSN ON cai 2,72% (R$ 3,21), e a Gerdau PN registra baixa de 2,83% (R$ 3,43). A Usiminas PN despenca 6,73%, caindo abaixo de R$ 1 pela primeira vez desde 2003.

O setor bancário também sofre. O Banco do Brasil ON recua 1,84% (R$ 13,31), enquanto o Bradesco PN tem baixa de 2,37% (R$ 17,28). O Itaú Unibanco PN registra desvalorização de 1,83% (24,11%).

— Hoje, a motivação é a queda do índice chinês, que entrou de vez em tendência baixista, e a continuidade da queda das commodities. No noticiário interno, se o campo político segue inalterado, o mercado já começa a especular sobre a próxima reunião do Copom, com a maioria dos analistas esperando uma alta de meio ponto percentual nos juros básicos — disse Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos.

RUMO LOGÍSTICA CAI MAIS DE 17%

Mas a maior queda percentual do Ibovespa é da Rumo Logística, que experimenta um tombo de 17,24%, para R$ 2,16. Nesta sexta, a companhia anunciou o cancelamento de uma operação de aumento de capital e disse que discute, como alternativa, uma captação de R$ 2 bilhões por outros meios.

“Cenário macroeconômico coloca potencialmente em risco a captação do montante mínimo necessário à homologação parcial do aumento de capital”, segundo comunicado ao mercado.

Fonte: O Globo

voltar

 
 
 
© 2009 AZ Investimentos - all rights reserved | desenvolvido por Client By